Como funciona a bolsa de valores? Aprenda a investir

Doe parte do imposto de renda para projetos sociais ou culturais
14 de fevereiro de 2017
Aprenda a investir no Tesouro Direto (LFT)
14 de fevereiro de 2017

Como funciona a bolsa de valores? Aprenda a investir

Aprenda a investir na bolsa de valores

Se você procura investimentos que forneçam ganhos mais expressivos, a Bolsa de Valores é sem dúvidas a melhor forma de investir seu dinheiro, mesmo que seja um investimento de maior risco e renda variável.
Porém, opções como investir na bolsa de valores ainda não fazem parte da cultura do brasileiro, muitas vezes porque o investidor brasileiro ainda não compreende ao certo o que é a Bolsa de Valores, como funciona este investimento e que ele está bem mais acessível do que se imagina.

O que é Bolsa de Valores e como funciona?

A bolsa de valores é um mercado, onde pessoas e empresas se relacionam através da compra e venda de seus títulos e ações. Se você decide vender uma ação e outro investidor têm interesse em comprá-la, a bolsa será o ponto de encontro entre vocês.
O objetivo da Bolsa é organizar essas negociações em um ambiente seguro, garantindo que você irá receber o dinheiro pelas suas ações e o investidor receberá as ações que comprou, de forma eficiente, segura e justa.
A bolsa também garante que suas ações sejam guardadas em um lugar 100% seguro, a CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia. Muitas pessoas acreditam que as ações ficam em custódia das corretoras, porém é a CBLC (empresa do grupo BM&F Bovespa) quem tem essa responsabilidade no Brasil.
A Bolsa do Brasil é a BM&F Bovespa, que é uma união da BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) e da Bovespa (Bolsa de São Paulo). Todas as demais bolsas criadas no Brasil foram incorporadas por ela ao longo do tempo, assim como a Bolsa do Rio de Janeiro, a primeira criada no país.
Para investir nela você precisa ter uma conta em uma corretora de investimentos, ou corretora de valores. Elas são as instituições que distribuem as ofertas de ações, fundos ou títulos e fazem o intermédio das negociações entre compradores, vendedores e a bolsa.

Funciona da seguinte forma:

1)   Uma empresa X resolve disponibilizar ações em troca de verba para realizar investimentos e projetos. Então ela “abre capital”, se registrando na bolsa e “listando” suas ações.
2)   As corretoras então oferecem essas ações no mercado aos primeiros investidores. Isso é o mercado primário.
3)   A partir daí começa a surgir uma relação de oferta e demanda por estas ações, sendo que um investidor primário pode querer vender suas ações por acreditar que o preço delas irá cair ou por precisar do dinheiro, e outro investidor pode querer comprá-las, acreditando que o preço irá subir.
4)   O investidor primário então lança uma ordem de venda de suas ações na corretora pelo valor que pretende obter em troca e automaticamente o sistema da corretora envia essa ordem para a Bovespa.
5)   O segundo investidor, por sua vez, envia uma ordem de compra em sua corretora, pelo preço que considera interessante para comprar tais ações. Assim como no caso anterior essa ordem é automaticamente enviada da corretora para a bolsa.
6)   Se a ordem de compra e a ordem de venda chegarem à Bolsa com o mesmo valor o negócio é fechado. Isto é o mercado secundário.

bovespa-como-funciona

Pode parecer um pouco demorado, mas tudo isso acontece em uma fração de segundos e de forma extremamente prática, no conforto da sua casa, através de uma ferramenta chamada Home Broker. Aquela sala cheia de pessoas gritando e falando ao telefone, como imaginávamos que era a bolsa, não existe mais. As negociações são realizadas de forma eletrônica e automática e registradas em um grande computador da BM&F Bovespa.
Com a negociação feita, o valor das ações será debitado da conta do comprador 3 dias úteis após o negócio, e o vendedor consequentemente receberá o valor 3 dias úteis após.
Devido a essa forma de “liquidação” dos negócios, existem operações que são realizadas tão rápido que você não paga e nem recebe o valor total do negócio, mas apenas o lucro ou prejuízo, e por isso é permitido movimentar um valor até 30 vezes mais do que você possui, o que é conhecido como alavancagem.
Essa é a forma mais emocionante e lucrativa de investir, onde alguns investidores buscam lucros de 2% a 4% POR DIA. Vale lembrar que em investimentos na bolsa o risco e o retorno são sempre proporcionais. Essa alavancagem pode ser utilizada em dois tipos de operações:
  • O Day Trade – Operações que duram entre minutos e horas, nunca ultrapassando o encerramento do pregão do dia.
  • O Mercado Futuro – Operações que podem ser de curto prazo (1 a 5 dias) ou Day Trade, onde você investe em contratos de commodities, índices e moedas ao invés de ações.

Horários de Negociação da Bovespa

Embora muitas pessoas não saibam, investir na bolsa não é apenas comprar ações. Na BM&F Bovespa também são negociados:
  • Títulos de Renda Fixa;
  • Contratos Futuros de Commodities;
  • Contratos Futuros de Moedas;
  • Contratos Futuros de Índices;
  • Opções de Ações.
Os horários de negociação de cada um desses ativos podem ser diferentes. Os contratos futuros, por exemplo, não são negociados no mesmo horário exato das ações.
Em geral os ativos são negociados nos seguintes horários, podendo haver pequena diferença entre eles:

¹ Podem variar entre 15:15h e 16:00h.
² Podem variar entre 15:30h e 17:00h, dependendo do horário de encerramento.

 

Pré-abertura

A Pré-abertura funciona como um leilão de abertura da bolsa. O investidor que tem interesse em comprar ou vender um ativo no seu preço de abertura pode enviar a ordem antecipadamente, porém o negócio não será fechado até a abertura do mercado de ações.
Esta pré-negociação serve para determinar o preço de abertura do ativo. Uma vez que sua ordem foi enviada e faz parte deste preço não é mais possível cancelar.

Call de fechamento

O call de fechamento dura apenas os 5 minutos anteriores ao fim da negociação, recebendo intenções de compra e venda do ativo para determinar o preço de fechamento dele. Uma diferença neste caso é que apenas ativos que fazem parte de alguma carteira de Índice da Bovespa possuem call de fechamento.

After Market

O after market funciona como um horário extra de negociação da Bovespa, possibilitando aos investidores que não conseguem acompanhar o pregão normal realizar operações após o encerramento, salvo algumas restrições.
Ele também oferece a oportunidade aos investidores de fazerem algum ajuste que não tenham conseguido fazer ao longo do pregão normal.
São negociados no After apenas ativos que fazem parte do Índice Bovespa e o limite de oscilação é de 2% para mais ou para menos.

 

Leilões da Bovespa – para que servem?

Os Leilões são uma forma de organizar as ofertas de compra e venda de determinado ativo de maneira a estabelecer o melhor preço para que uma maior quantidade de investidores seja atendida.
Eles podem acontecer quando alguns fatos possam provocar grande alteração nas negociações, como:
  • Divulgação de fatos e notícias relevantes para determinado ativo;
  • Problemas técnicos relatados por Sociedades Corretoras;
  • Ativos que estejam apresentando alta volatilidade em suas cotações.

Índice Bovespa

Conforme falamos anteriormente, também é possível negociar índices na bolsa. O mais famoso e negociado deles é o Índice Bovespa, também conhecido como Ibovespa, Índice Futuro ou IBOV.
O Índice Bovespa é uma carteira teórica de ações, formada pelas ações mais negociadas na Bovespa, por isso ele funciona como um termômetro do mercado, uma vez que as ações que o compõem representam a maior parte do volume financeiro negociado na Bovespa. 
Ou seja, como o Índice Bovespa é a maior representação da bolsa, se a maior parte dessas empresas apresentarem queda, isso significa que a bolsa como um todo também estará caindo.
Para investir neste índice, você terá que adquirir contratos futuros do Ibovespa, através do Mercado Futuro e dos códigos IND (índice cheio) ou WIN (mini índice). E é neste mercado também que você tem a chance de investir em commodities, no dólar ou no índice das 500 maiores empresas americanas, o S&P.
Mas apesar de ser o mais importante, o Índice Bovespa não é o único da nossa bolsa. Existem também outros índices, como por exemplo:
  • IBrX 100 – Índice Brasil 100: composto pelas 100 ações mais líquidas da bolsa.
  • IBrX-50 – Índice Brasil 50: composto pelas 50 ações mais líquidas da bolsa.
  • IBrA – Índice Brasil Amplo: composto pelas ações de todas as empresas da Bovespa.
  • IGCX – Índice de Ações com Governança Corporativa: composto por empresas consideradas com boa governança corporativa.
  • ITAG – Índice de ações com Tag Along Diferenciado: composto por empresas que concedem tag along de mais de 80% do preço obtido pelo controlador.
  • IGCT – Índice de Governança Corporativa Trade: composto por ações que estejam no IGCX e possuam alta liquidez.
  • IGC-NM – Índice de Governança Corporativa – Novo Mercado: composto por todas as ações da BM&F Bovespa que fazem parte do Novo Mercado.
  • IDIV – Índice de Dividendos: composto por empresas que tiveram os maiores “dividend yields” referentes aos últimos 24 meses.
  • MLCX – Índice Mid-Large Cap: composto pelas maiores empresas da bolsa, considerando capitalização e valor de mercado.
  • SMLL – Índice Small Cap: composto pelas empresas com menor capitalização na bolsa.
  • IVBX 2 – Índice Valor BM&F Bovespa: estabelecido pela BM&F Bovespa em conjunto com o jornal Valor Econômico e composto por 50 ações bem conceituados por investidores.
  • FGV-100 – Índice FGV-100: estabelecido pela Fundação Getúlio Vargas e composto por 100 ações de empresas privadas e não bancárias (exclui-se estatais e bancos) mais negociadas na bolsa.
  • ICO2 – Índice Carbono Eficiente: composto pelas empresas do IBrX-50 com práticas transparentes na emissão de GEE (gases efeito estufa).
  • ISE – Índice Sustentabilidade Empresarial: composto por empresas da bolsa que atendam aos critérios de sustentabilidade estabelecidos.
  • IFNC – Índice Financeiro: composto pelas empresas mais líquidas e representativas do setor de serviços financeiros.
  • IMOB – Índice Imobiliário: composto pelas empresas mais líquidas e representativas do setor.
  • UTIL – Índice de Utilidade Pública: composto pelas empresas mais líquidas e representativas do setor.
  • ICON – Índice de Consumo: composto pelas empresas mais líquidas e representativas do setor.
  • IEE – Índice de Energia Elétrica: composto pelas ações mais importantes do setor elétrico.
  • IMAT – Índice de Materiais Básicos: composto pelas empresas mais líquidas e representativas do setor.
  • INDX – Índice do Setor Industrial: composto pelas ações de maior representatividade do setor, entre as 150 ações mais negociadas.

Como os brasileiros estão investindo mais

Embora a bolsa seja a opção de investimento onde é possível alcançar maiores rendimentos, ainda é muito pequena a parcela de brasileiros que investem em ações. Nos Estados Unidos por exemplo, o investimento em ações já faz parte da cultura dos americanos.
Isso faz com que o mercado internacional tenha muita influência na Bovespa, sendo que grandes volumes são negociados por investidores estrangeiros.
Como falamos anteriormente, o que impede os brasileiros de investir muitas vezes é a insegurança por não conhecer a Bolsa de Valores, como funciona o investimento em ações e que esta é uma opção acessível a todo investidor que tenha uma reserva financeira, e não apenas a quem tenha grandes valores em conta.
Mas o pensamento do brasileiro está mudando! A BM&F Bovespa divulgou em Maio/16 números que expressam a participação de pessoas físicas investindo. A quantidade de investidores, que em 2002 era de 85.249 pessoas, passou a ser quase 560.000 pessoas. Um crescimento de mais de 6x.
Mesmo que o cenário político e econômico do país atualmente seja desafiador, são nesses momentos de incertezas que surgem as maiores oportunidades na Bolsa, e por isso os brasileiros estão investindo cada vez mais.

Principais Bolsas do Mundo

Como vimos agora há pouco, o mercado internacional também possui muita influência na BM&F Bovespa, por isso é importante conhecer também as principais bolsas do mundo e seus horários de negociação.
Apesar da importância da Bovespa e do respeito internacional por nossa bolsa, ela ainda está em 13º lugar em termos de capitalização de mercado. Vamos então conhecer as 7 primeiras dessa lista.
1) NYSE
Esta é a famosa bolsa de Nova York, a maior do mundo, com uma capitalização de cerca de 13,9 trilhões de dólares.
Seu horário de funcionamento, de acordo com o horário do Brasil, é de 10:30 às 17:00h.
Uma informação importante é que a NYSE pode interferir muito em nosso mercado. Caso as ações despenquem nos Estados Unidos, os investidores podem vender seus papéis na BM&F Bovespa para cobrir prejuízos, retirando seu capital temporariamente.
2) NASDAQ
Também nos Estados Unidos e certamente um nome que você ouve com frequência.
A Nasdaq possui capitalização de cerca de 4,3 trilhões de dólares e funciona no horário do Brasil de 10:30h às 17:00h, influenciando a Bovespa da mesma forma que a NYSE.
3) Bolsa de Tóquio
A japonesa é uma das primeiras do mundo a começar as operações e por isso pode influenciar o mercado do mundo inteiro. Frequentemente a bolsa abre como um reflexo do que acaba de acontecer ou aconteceu depois do encerramento dos mercados.
Sua capitalização de mercado é de cerca de 3,3 trilhões de dólares e o horário de funcionamento no Brasil é de 21:00h às 05:30h.
4) LSE – Bolsa de Londres
Uma das principais da Europa, a capitalização da LSE é de cerca de 3 trilhões de dólares e ela costuma sinalizar reações a fortes altas ou quedas no mercado da Ásia.
Seu horário de funcionamento é de 04:00h às 12:30h no Brasil.
5) Bolsa de Paris
A Bolsa de Paris representa um grande grupo do mercado, reunindo as bolsas de Lisboa, Paris, Bruxelas e Amsterdã com uma capitalização de cerca de 2,9 trilhões de dólares.
Seu horário de funcionamento no Brasil é de 04:00h às 12:30h.
6) Bolsa de Hong Kong
A bolsa de Hong Kong tem bastante importância em nosso mercado por ser conectada com a bolsa da China.
Sua capitalização de mercado é de cerca de 2,8 trilhões de dólares e o horário de funcionamento é de 23:00h às 05:00h no Brasil.
7) Bolsa de Xangai
Sendo a China a nossa principal parceira comercial no exterior, Xangai é talvez a mais importante para o nosso mercado, influenciando fortemente empresas exportadoras como a Vale (VALE5), por exemplo.
Sua capitalização de mercado é de US$2,6 trilhões e seu horário de funcionamento aqui no Brasil é de 22:30h às 04:00h.
8) Bolsa de Toronto – TSX
É a terceira maior bolsa de valores da América do Norte e a maior do Canadá. Sua capitalização de mercado é de 2 trilhões de dólares.
O horário de negociação da TSX no Brasil é de 10:30h às 17:00h.
9) Bolsa de Frankfurt
Localizada no centro da Zona do euro, a Bolsa de Frankfurt possui capitalização de 1,9 trilhões de dólares e a é a maior bolsa de valores da Alemanha.
O horário de funcionamento da Bolsa de Frankfurt no Brasil é de 04:00h às 13:30h.
10) Bolsa de Sidney – ASX
Resultado da fusão de 6 bolsas de valores, a bolsa de Sidney é a maior bolsa da Oceania. Sua capitalização de mercado é de 1,3 trilhões de dólares e seu horário de funcionamento no Brasil é de 21:00 à 03:00h no Brasil.

Fonte: Tororadar.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como funciona a bolsa de valores? Aprenda a investir

Se você procura investimentos que forneçam ganhos mais expressivos, a Bolsa de Valores é sem dúvidas a melhor forma de investir seu dinheiro, mesmo que...